Press "Enter" to skip to content

Devo usar o Anchor para começar meu Podcast?

Devo usar o Anchor para começar meu Podcast?

A Anchor é uma plataforma de hospedagem e gravação de Podcasts que promete facilidade e gratuidade ao produtor, o que obviamente é muito atrativo, mas como sabemos, não existe lanche grátis, o objetivo deste post é chamar a atenção para aspectos problemáticos da plataforma e permitir que novos produtores tomem uma decisão consciente e melhor informada.

Pensando nisso, decidi destacar meus problemas com o Anchor. Eles se dividem entre seu procedimento padrão com relação ao feed, sua forma de comunicação sobre a tecnologia de podcasting e o trecho de licenciamento dos termos de uso da plataforma. Mas vou desenvolver um por um.

Sobre o procedimento com relação ao feed:

A Anchor por default submete seu feed por você para o “Apple Podcasts Connect” (antigo iTunes). Essa submissão é feita, na conta da própria Anchor dentro do Podcasts Connect. Isso tem algumas repercussões. Primeiro que com isso o e-mail de contato que *a Apple* possui é o da conta no connect, e é pra lá que ela manda avisos importantes. Me parece que eles lidam com isso de uma forma que não afeta o produtor, mas não gosto disso. Segundo que o produtor fica sem o acesso ao podcasts connect, que é onde o produtor faz o gerenciamento do feed e também onde a Apple disponibiliza os dados de consumo do podcast pelos ouvintes que que utilizam o ecossistema Apple.

Vale lembrar que existe uma configuração em algum canto da plataforma que permite que o produtor escolha não ter essa submissão feita pela Anchor. E também existe a possibilidade de solicitar a transferência de propriedade do feed para sua própria conta no Apple Podcasts Connect por e-mail. Mas me incomoda sobremaneira isso não ser o padrão.

Não bastando isso, para sair da plataforma, você precisa enviar um e-mail solicitando que a plataforma adicione o redirecionamento permanente para seu novo feed. Sendo que o ideal é fornecer um local para que o próprio produtor faça isso. Se você quer sair da plataforma, o termo técnico em inglês para a solicitação que você deve fazer é “301 redirect“. Ouçam este episódio do podcast “The audacity to Podcast” para saber mais a respeito..

Sobre a forma de comunicação

A Anchor “vende” facilidade para o produtor, sem explicar as implicações de algumas coisas que fazem para oferecê-la. Acho extremamente prejudicial uma plataforma não explicar quais as consequências de você abrir mão da propriedade do seu feed no que diz respeito a Apple. E não acho que essa propriedade seja desprezível pois o ecossistema da apple ainda é responsável, em média, por 80% da audiência de podcasts, e mais ainda, se considerarmos que vários agregadores utilizam a API do Itunes para alimentar seu catálogo de podcasts.

Obs: propriedade do feed é o termo utilizado pela Apple, e se refere à propriedade do feed naquele catálogo.

Sobre os termos de licença

Esse é o meu maior problema, com a plataforma. Se você quiser verificar, está no site deles, no item LICENCE GRANT.

Todas as traduções são traduções livres minhas e os textos que não estão entre aspas são os meus comentários, refletem minha opinião e não são uma verdade universal. Os textos entre aspas são os textos originais retirados dos termos de serviço, e a tradução livre destes, feitas por mim.

Eles começam bem, dizendo, em negrito que “You retain all of your ownership rights in your User Content.” (Você retém todos os seus direitos de propriedade em seu conteúdo de usuário).

Mas já na próxima frase dizem algo que na minha opinião, desmente a anterior.

Os direitos que você cede à Anchor

“you hereby do and shall grant us a worldwide, non-exclusive, perpetual, royalty-free, fully paid-up, sublicensable and transferable license to use, edit, modify (including the right to create derivative works of), aggregate, reproduce, distribute, prepare derivative works of, display, and perform the User Content in connection with the operation of the Services, the promotion, advertising or marketing of the Services, or the operation of Anchor’s (and its successors’ and affiliates’) business.”

 

Tradução: “Você nos concede os direitos mundiais, não exclusivos, perpétuos, livres de royalty, completamente pagos, sublicenciáveis e transferíveis para usar, editar, modificar (incluindo o direito de criar trabalhos derivativos de), agregar, reproduzir, distribuir, preparar trabalhos derivativos de, mostrar e representar o conteúdo de usuário em conexão com a operação de serviços, ou a operação de negócios da Anchor (e seus sucessores e afiliados).”

Daí passam pra outras coisas normais em termos de serviço e:

Os direitos que você cede aos demais usuários da Anchor

“You also hereby do and shall grant each user of the Services a non-exclusive, perpetual license to access your User Content through the Services, and to use, edit, modify (including the right to create derivative works of), reproduce, distribute, prepare derivative works of, display and perform such User Content in connection with any use of the Services by any user of the Services. Such license shall survive the termination of your Account or the Services.”

 

Tradução: “Você também concede a cada usuário dos Serviços uma licença não exclusiva, perpétua, para acessar seu conteúdo através do serviço, e para usar, editar, modificar (incluindo os direitos para criar trabalhos derivativos de), reproduzir, distribuir, preparar trabalhos derivativos de, mostrar, e representar o conteúdo de usuário em conexão com qualquer uso dos Serviços por qualquer usuário dos Serviços. Essa licença sobreviverá ao encerramento de sua conta ou dos Serviços.”

Resumo da minha interpretação disso tudo

Ao publicar na Anchor vc cede a eles o direito de fazer o que quiserem com seu conteúdo, e cede também esses direitos a QUALQUER UM QUE TAMBÉM USE A PLATAFORMA. E eles ainda tem a AUDÁCIA de “esclarecer” no final do item, que essa licença não afeta os seus OUTROS direitos de licença e propriedade, sobre o SEU conteúdo.

Eu acredito que existam pessoas que não se importem em ceder esse tipo de direito, mas acontece que ninguém lê termos de serviços e acho que a plataforma se beneficia disso para usar um license grant que, para os padrões da podosfera, são francamente abusivos.

 

Karin é Geóloga, mestre e doutoranda em Geocronologia, co-produtora do X-Poilers, organizadora e co-produtora do uaiPod e Gerente de Comunidade do Megafono.